Onde Vivem os Monstros (Where the Wild Things Are)

Max é um garoto travesso que se sente solitário e foge de casa após desobedecer a mãe. Mas, a imaginação dele está livre para voar, e logo o transporta para um reino desconhecido. Encantado, Max parte para a terra dos Monstros Selvagens, onde as travessuras serão lei, e Max será o rei.

Adaptação do diretor Spike Jonze para o popular livro infantil (de apenas 15 frases) escrito por Maurice Sendak. Apesar do respeito absoluto ao texto original, quase tudo que se vê na tela é material novo. Nas mãos de Jonze e do roteirista Eggers cada frase ganhou prólogos e epílogos, nuances e sub-tramas, significações e contextos. O diretor que era anteriormente conhecido por filmes como "Quero ser John Malkovich" e por seu trabalho com vídeos musicais, neste filme explora todas as possibilidades do texto infantil.

Um dos pontos mais interessantes do filme é a produção visual. Na era cinematográfica americana atual, dominada pela saturação de imagens exageradamente fantásticas montadas sempre por computação gráfica, "Onde Vivem os Monstros" usa os efeitos somente para legitimar seus personagens. E quando Jonze dispensa o CGI para criar o visual dos monstros, utilizando figurinos enormes e pesados, ele dá ao filme um aspecto retrô que só reforça a obra de Sendak e homenageia o cinema infantil da era pré-digital como "A História Sem Fim" e "Pufnstuf". Outro ponto interessante é a trilha de Carter Burwell e Karen O dos "Yeah Yeah Yeahs".

É um filme ingênuo, simples, mas que ao contrário do que possa parecer não é feito para crianças e sim sobre o universo delas.









  • RSS