Colecionadores revoltados

O "plano Dilma" de limitar importações (sem dizer que está fazendo isso, é claro) ultrapassou o cúmulo para os brasileiros colecionadores de filmes. Todos sabem que livros e revistas são isentos de taxa de importação, mas filmes e música não. E para ter acesso a certos conteúdos de arte e cultura em nosso país, é preciso importar e pagar altas taxas de importação para isso.




Mas vamos listar os recentes acontecimentos...

Primeiro o governo aumentou a IOF sobre despesas em moeda estrangeira no cartão de crédito de 0,38% para violentos 6,38%.

Depois veio a operação da Receita Federal intitulada "Maré Vermelha" que dizia objetivar grandes cargas entrando irregulares no Brasil, mas segurou todas as pequenas encomendas também (compras ou não). Demorando meses para serem entregues e muitas vezes nunca recebidas até hoje, incluem-se todas as categorias de itens, mesmo livros que perante a lei não pagariam valor algum de importação e até remédios que obviamente nunca poderiam demorar para serem entregues! (Confira a matéria da revista Veja)

Além disso, encomendas internacionais de lojas comuns com seus valores declarados foram sobretaxadas sem nenhum amparo da lei. No Rio de Janeiro, por exemplo, (onde não há cobrança de ICMS e o valor é de exatos 60% sobre o produto + frete), houve caso de cobrança de mais de 200% sobre o valor e mesmo quando foi pedida revisão provando o valor da encomenda através de printscreens dos sites e emails das lojas, a revisão foi negada e o valor retornou o mesmo.

Os casos absurdos foram se acumulando, mas o problema estava só começando.

Sem locais para armazenamento adequados, o fim trágico de algumas encomendas (dentre as que chegaram a seu destino) foi o que se vê nos vídeos abaixo:

 




Obs: É importante notar que nos dois relatos em vídeo, tratam-se de objetos que não deveriam ter ficado retidos na alfândega pois entram na categoria de livros e revistas que não podem ser taxados.


Unindo tudo isso à uma veloz e forçada alta do dólar, já seria a catástrofe completa para os cinéfilos nacionais que compram itens que não são fabricados no Brasil e muitas vezes filmes que infelizmente nunca serão nem lançados por aqui.

O governo que havia segurado tantas encomendas (principalmente as da Amazon.com) acabou por forçar a loja, que tem o maior índice de vendas internacionais para o Brasil, a cobrar taxas antecipadas de importação nos produtos que envia para o Brasil (em sua maioria blu-rays e dvds).
Com o boicote da Receita Federal a seus produtos e pressionada pelo governo brasileiro, a partir do dia 25 de maio a Amazon passou a cobrar em dólares as taxas de importação do valor total da compra e frete.
Simulando um exemplo de compra ficaria assim:

Items: $29.99
Frete: $7.98
Total: $37.97

Taxa de importação: $36.12
Total da compra: $74.09

Vejam a resposta dada pela Amazon ao site BJC.
"There may have been a change with your customs and they’re now requiring this fee be applied to your orders. I suggest contacting your Import Services Dept. for more information. The information in our Help pages do indicate that some orders that are shipped by standard shipping may be subject to a certain fee. This is something we have no control over.
I’m sorry for any inconvenience and wish there was more I can do, but the payment of import fees is the responsibility of the importer and is levied based on the laws of the country into which the products are being shipped. This is not something Amazon controls, but your country.
This is not something Amazon controls, but your country. Items sent to eligible countries via Priority International Shipping and in certain cases via Standard or Expedited International Shipping will have an estimated Import Fees Deposit applied to the order."

Ou seja, todos que agora comprarem blu-rays e dvds na Amazon.com pagarão quase 100% de taxa de importação antecipada (sobretaxadas para os Estados que não incidem cobrança de ICMS, pois deveria ser 60%), sendo que, como o valor será pago em dólar, aquela IOF de 6,38% será cobrada sobre o valor total não só da compra e frete, mas também da própria taxa.
Ou seja, será cobrada taxa sobre a própria taxa.


A revolta entre os colecionadores de filmes no Brasil é grande e não é para menos, todos estão sofrendo um tratamento criminoso simplesmente por adquirir legalmente itens que na maioria das vezes nunca serão lançados no Brasil.





http://4.bp.blogspot.com/-34Fs8RvANd4/T6H5JVXL7TI/AAAAAAAAHJc/z1k3ZRJFn3w/s1600/dilma.jpg
 Os óculos seriam para assistir a uma versão 3D pirata
do filme "Lula, o Filho do Brasil" ou para os
cinéfilos gravarem o filme "Dilma, a filha da..."

  • RSS