Discos óticos - Diferenças entre CD, DVD e BLU-RAY

Diferenças entre o cd, o dvd e o blu-ray:

NOMES:
CD - Compact Disc
DVD - Digital Versatile Disc
BLU-RAY - Vem de "blue ray" que significa "raio azul" (também é chamado pela sigla BD "Blu-ray Disc")

Obs: Os discos óticos podem ser de três tipos..
- somente leitura
- gravável somente uma vez
- regravável várias vezes
Em discos graváveis é inserida junto à sua sigla a letra "R" (significa "recordable", gravável uma vez) e no caso de discos regraváveis as letras "RW" (significa "re-writable", ou seja que podem ser apagados e regravados).
Ex: DVD (somente leitura), DVD-R ou DVD+R (graváveis uma única vez) e DVD-RW ou DVD+RW (graváveis várias vezes).


HISTÓRIA:
- CD
Criado a partir do antigo LD (Laser Disc). O LD era um disco grande (não muito popular) criado ainda na década de 70 que era usado para reprodução digital de filmes. O conteúdo de vídeo era grande para a tecnologia e eram gravadas metades dos filmes em cada lado, tendo assim que ser trocado o lado no meio do filme.
No caso do CD a ideia seria usar a tecnologia digital somente para a repodução digital de albuns musicais. Nesse caso seria utilizado muitíssimo menos espaço, o disco seria bem menor e não precisaria ser virado para a reprodução completa da obra, pois só iria conter áudio. O disco ótico com músicas de álbuns completos formava o casamento perfeito que traria o avassalador sucesso e a populariade anos mais tarde para o CD.
A tecnologia do CD foi desenvolvida pela Sony e pela Philips, cada uma com seu próprio projeto diferenciado, mas depois de um acordo, ficou estabelecido o padrão da Philips como o usado nos aparelhos. O mesmo ocorreu com os aparelhos de video K-7, onde a Sony desenvolveu o sistema Betamax (usados por muito tempo em ilhas de edição profissionais) e a Philips o sistema VHS que se tornou popular. A Philips simplesmente liberou a patente de fabricação do sistema para outros fabricantes e assim firmou no mercado o seu formato.
O CD passou a ser comercializado somente em 1982 se tornando também um método de armazenamento importante para arquivos e programas de computadores.



- DVD
Em 1990 dois tipos de discos óticos estavam sendo desenvolvidos, o MMCD (MultiMedia Compact Disc) pela Philips e a Sony, e o SC (Super Density Disc) pela Toshiba, Time-Warner, Matsushita Electric (Panasonic), Hitachi, Mitsubishi, Pioneer, Thomson e JVC. A IBM então veio com a proposta de unir os dois sistemas, evitando os problemas de briga de formatos. Em 1997 surgiu o primeiro aparelho reprodutor de dvd.
O dvd pôde reproduzir filmes completos com imagem digital de 720p com qualidade bem superior aos VHS's que se deterioravam facilmente, eram grandes e tinham resolução analógica de somente 240 linhas (NTSC) . Era superior também aos antigos LDs, que apesar de serem meios digitais, tinham também resolução analógica, só que de 420 linhas (NTSC).

- BLU-RAY
A Blu-ray Disc Association (criada pela Sony e Panasonic) foi a responsável pelo padrão e o desenvolvimento do Blu-ray. Disputou uma guerra de formatos com o HD DVD, que tinha menor capacidade de armazenamento que o BLU-RAY e era promovido pela, NEC, Sanyo e ainda apoiado pela Microsoft, HP e Intel. Mesmo o HD-DVD recebendo o apoio dos estúdios Universal para o lançamento de seus filmes, em 2008, a Toshiba descontinuou a produção de "players" HD DVD, e definitivamente o formato BLU-RAY venceu com o apoio exclusivo da Warner Bros., MGM, Fox e Columbia Pictures. O Blu-ray, pela sua grande capacidade de armazenamento conseguiu apresentar filmes em Alta-definição preparados para as modernas TVs fullHD (1080p de resolução de imagem).


CAPACIDADE DE ARMAZENAMENTO DE DADOS:

- CD
700Mb

- DVD
4.7Gb (dvd5, simples de 1 camada)
8.5Gb (dvd9 de duas camadas)

- BLU-RAY
25 GB (camada simples)
50 GB (camada dupla)


FEIXE DO LASER USADO NO DISCO:

- CD
780 nanômetros de onda laser semicondutora

- DVD
Laser de 650 nm

- BLU-RAY
Laser de 405 nm


Obs: A luz vermelha tem comprimentos de onda de 620 a 780 nm. Faixa em que trabalha o laser do dvd. Veja que no caso do CD o feixe emitido pelo leitor dele, está justamente no "limite alto" do espectro visível, onde o que vemos como vermelho se torna infra-vermelho.
No caso do BLU-RAY o comprimento de onda é enxergada como um azul-violeta (a "outra ponta" do espectro visível ao ser humano) que tem comprimento de onda entre 380 a 450 nm. Com um comprimento de onda menor consegue-se ler menores e mais informações num mesmo disco.


Escpetro visível

  • RSS